quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Balanço Literário 2015

Vamos aos livros que li neste ano de 2015:


*Não contém spoiler.




1 - O Irmão Alemão - Chico Buarque. Comecei o ano lendo essa autobiografia quase ficção. E comecei o ano bem. Livro envolvente, do jeito que o Chico sabe abordar. Não é o melhor dele, ainda fico com Fazenda Modelo, mas é um livro muito bom.

2 - Adultérios - Woody Allen. Sou apaixonado pela simplicidade densa do Woody Allen. Ler seus contos me faz imaginar os filmes. União perfeita à minha modesta imaginação.

3 - O Pintassilgo - Donna Tartt. Fiquei curioso quando a este livro. Li sobre ele na Folha de São Paulo em uma matéria que citava Donna e seu Prêmio Pulitzer de melhor ficção. Fui atrás do livro reticente. Pra minha feliz surpresa, o livro me surpreendeu. Uma trama bem amarrada e com personagens muito fortes.

4 - Feliz ano Velho - Marcelo Rubens Paiva. Reli este livro com muito carinho. Sofri um acidente de carro também há alguns anos. Com mais sorte, fiquei sem sequelas; ao contrário do Marcelo. O livro mexeu comigo de um modo especial. Foi emocionante lê-lo, em que pese a imaturidade do escritor, ainda jovem, e o excesso de linguagem pejorativa.

5- O Aleph - Jorge Luis Borges. São pequenas histórias e todas geniais. Um dos melhores que li do gênero. Borges é o "pai" de uma leva de escritores atuais. Não tem como errar.

6 - A Teoria de Tudo: A Extraordinária História de Jane e Stephen Hawking - Jane Hawking. Como o próprio subtítulo diz, o livro, escrito por Jane, conta a sua história com Stephen. A obra virou um filme aclamado e popular. É uma bela história, sem dúvida, mas senti que faltou um pouco de cuidado na escrita.

7 - Um Pio de Coruja - Chico Lopes. Chico, amigo querido, foi muito feliz ao escrever esse livro e analisar com uma precisão técnica e minuciosa, com pitadas passionais, diversas obras literárias, colocando nos textos as suas visões e sentimentos. São ensaios que valem a pena serem lidos e serve como um bom manual da literatura.

8- O aprendiz de Assassino - Livro I - Robin Hobb. Ganhei o livro de aniversário e o li despretensiosamente. Adorei. É uma trama que flerta com a lealdade, ética e leis. Quero e vou ler as continuações.

9 - Ele está de Volta - Timur Vermes. A sinopse me encantou. Hitler acorda em um terreno baldio no ano de 2011. Atordoado, coloca a sua mente perspicaz para entender o que pode ter acontecido. É possível dar boas risadas lendo o livro, imaginando as cenas bizarras, como a que o ditador é visto como um ator maluco que imitava Hitler, mas sem deixar o tom triste que o discurso nazista carrega. Ouvi falar que vai virar filme. Aguardemos.

10 - Os Olhos Cegos dos Cavalos Loucos - Ignácio de Loyola Brandão. Livro infantil e muito bem escrito. Narra a relação do próprio Ignácio com seu avô. Lembrei muito do meu lendo a história. Ouvi o próprio Ignácio falar sobre o livro na Flipoços. Foi muito bom.

11 - A estrutura da bolha de sabão - Lygia Fagundes Telles. Livro de conto que me prendeu do início ao fim. Livro curtinho que se lê enquanto toma dois copos americanos de café. Li após ler o do Borges, e não tive nenhum choque enquanto a isso. Indico.

*Este ano li e conheci pessoalmente diversos poetas que escrevem o que chamam de Poesia Marginal. São livros que circulam pelos saraus e pelos projetos envolvendo educação e poesia. Tive um grande crescimento tendo acesso a essas histórias, versos e contos. Destaco o livro do Ciríaco, que falarei abaixo.

12 - Te pego lá fora - Rodrigo Ciríaco. Um livro visceral. Que nos dá um tapa na cara. São prosas que narram o cotidiano de escolas públicas e periferias. Há contos que me fizeram tremer. Outros que me fizeram chorar. Em meio ao mar de poesia, Ciríaco se destaca com sua prosa pesada e quente.

13 - Para Brisa - Ni Brisant. Livro muito sensível do Ni, que tive o prazer de conhecer nos saraus. Gosto do modo com que o ele aborda os temas, vez que tem uma pegada sentimental e romântica sobre diversas situações que passam batidas em nossa rotina. É a visão do poeta. O respiro.

14 - Meu Pequeno Dicionário - Ni Brisant. Dizem que somente somos livres quando inventamos palavras. O Ni foi além, criou significados para as palavras; fazendo com o que o leitor se sinta à vontade ao se deparar com respostas escondidas atrás das letras.

15 - Pó & Sia - Rodrigo Ciríaco. Livro modelo. Ciríaco fez um livro para se mexer, desmontar, ler em qualquer posição. É um livro show.

16 - Poucas Palavras - Renan Inquérito. Conheci o Renan em seu trabalho junto à Parada Poética, que é incrível. E lá também conheci o seu som; foi quando passei a ouvir com certa assiduidade o hip-hop. Poucas palavras é um livro bomba, onde os versos são jogados em nossos peitos sem misericórdia.

17 - Suspensivos - Bobby Baq. Um mini livro com poesias gigantes. O Bobby é um poeta querido e singular; uma pessoa da mais pura sensibilidade. Não vou me assustar se o ver despontando como poeta de ponta no país.

18 - Primeiro Corte - Anna Zêpa. Um livro interessante e profundo. Editado pelo selo Doburro, o livro é um presente. Suas poesias são duplicadas e podem ser destacadas. Anna é incrível e acho que deveria haver mais delas por aí.

19 - A Convivência dos Nossos Rastros - Anna Zêpa. Um livro-muro. Anna tem suas poesias espalhadas pela cidade e, em um compêndio incrível, reuniu seus poemas.

20 - Angu de Sangue - Marcelino Freire. Marcelino é a personificação da poesia. Ouvi-lo declamar é uma valsa aos ouvidos. Ou como ele mesmo me disse certa vez: na literatura podemos vencer sempre, botar o mal pra foder. Angu de Sangue deve ser o livro de cabeceira de quem quer ver como o mundo pode ser fantástico. Tive o prazer de estar com ele algumas vezes e esses encontros fazem a vida valer a pena.

21 - Escritório de Pensamentos - Mano Ril. Ril é da poesia marginal e consegue nos fazer pensar fora da caixa. Vale a leitura.

22- Pétalas de Rosa - Jefferson Santana. Jeff é um poeta sorridente que com maestria uniu seus versos em um livro sensível e articulado. Faz-nos acreditar na força da poesia.

23 - Felicidade demais - Alice Munro. A premiada Alice faz jus aos elogios que sempre recebe. Li o livro de uma só vez. Foi um fim de semana atípico e reflexivo. Personagens que se parecem com a gente; naqueles intervalos de sorrisos.

24 - Se eu ficar - Gayle Forman. Li este livro em uma viagem e "achei bonitinho". Tem um quê um pouco apelativo que envolve algo espiritual.

25 - Pra onde ela foi - Gayle Forman. É continuação do livro acima. Li de teima. Mantenho minha opinião sobre ser uma história "bonitinha".

26 - Quando eu fechar os olhos - Edney Silvestre. Um livro excepcional. O próprio Edney me sugeriu começar por ele, quando lhe questionei acerca de suas obras. Não consegui parar de ler um só segundo.

27 - Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie. Um dos melhores romances que li este ano. Livro pra ser relido sempre. Sou fã da Chimamanda e o modo com que ela consegue levar sua ideologia para uma história é invejável.

28 - Meu Último Suspiro - Luiz Buñel. Buñel definiu 'Meu último suspiro' como um livro 'semibiográfico'. É foda. Que vida!

29 - Eternidade por um fio - Ken Follet. O último da trilogia do século. Quem acompanha o balanço literário do blog sabe o quanto esperei por essa obra. Não me decepcionou.

30 - A Insustentável Leveza - Milan Kundera. Livro publicado em 1984. Comprei em uma viagem para Curitiba como indicação da minha amiga Carol. Encantei-me. História que prende. Que bate. 

31 - Tratado sobre o coração das coisas ditas - Ni Brisant. Mais uma obra incrível do Ni. Livro de cabeceira que vale a pena ser lido e relido.

32 - Coroações, aurora de poemas - Débora Garcia. Débora é uma simpatia. Conheci-a no Sesc Campinas no projeto Margens, da querida Jéssica Balbino. Naquela madrugada mesmo comecei a ler o livro, e não parei.

33 - Quarto de Despejo - Carolina Maria de Jesus. Chorei durante toda a leitura. Do começo ao fim. O livro é de uma história real. É o diário de Carolina, que narra seu cotidiano, seus medos e suas aflições como residente na favela.

34 - O arroz de Palma - Francisco Azevedo. Francisco aborda o tema familiar de um modo ingênuo e romantizado. É um livro bonito, mas tem que gostar muito do estilo, pra não soar pedante.

35 - Diário de um presidente - Vol. 1. Fernando Henrique Cardoso. Ainda me perguntando porquê li essas mil páginas. Achei que fosse descobrir alguma faceta mais profunda do ex-presidente. Ledo engano.

36 - Ilusões da Alma - Eduardo Gianetti. Excelente. O Padre Fábio de Melo que me indicou como leitura. Como sempre, não me surpreendi com suas dicas. Gostei muito. Quero reler.

37 - O Lado Bom da Vida - Quick, Matthew. Mais um livro de viagem. A sinopse até que é legal. Mas a leitura é rasa.

38 - Quase, um livro para crianças - Daniel Viana. O Dani é um querido que a poesia colocou em minha vida de um jeito especial. Conheci a bela poesia, depois conheci o belo poeta. É um livro delicioso e, quase para crianças, faz-nos enxergar a pureza infantil da vida.

39 - Baseado Em Causos Reais - Daniel Viana. O projeto do Dani segue surpreendendo. Essa coletânea de causos torna a vida menos dolorida.

40 - Que eu era antes de Você? - Jojo Moyes. Neste livro conheci o projeto Dignitas. Fala sobre o suicídio assistido. É uma história muito triste e linda. Vai virar filme em 2016. Vale muito a leitura.

41 - Mulheres Cinzas:  As Areias do Imperador Vol. I - Mia Couto. Último livro que li este ano. Mia sempre me arranca suspiros. É um autor pra se degustar. A África e seus meandros sempre se apresentam fascinantes; familiar.

42 - O Estranho No Corredor - Chico Lopes. Romance do Chico vencedor do Jabuti como melhor romance. Não preciso dizer que é uma obra prima, certo? Chico tem um cuidado com a história; um capricho, que nos faz orgulhosos como leitor.

43 - Outro Cristianismo é Possível - Roger Lenaers. Uma nova visão sobre a religião. Sem levantar polêmica, é um livro forte pra quem gosta do tema.

44 - Alcoólicas - Hilda Hilst. Sem palavras pra Hilda. Sempre a leio e sempre a lerei.

45 - Os Componentes da Banda - Adélia Prado. Adélia me ensina a ser poeta. A cada livro seu, me descubro.

46 - Solte Os Cachorros - Adélia Prado. Repito o que disse acima.

47 - Poema Pássaro - Juliana Meira. Uma poetisa que não conhecia. Editado caprichosamente pela Patuá, o livro que prende e te faz sentir.

48 - Coletânea Drummond. É Drummond. 3 livros de coletânea lançado pela folha, se não me engano. Li em doses homeopáticas, como sempre faço com meu poeta favorito.

49 - Maria - Rodrigo Alvarez. Um livro reportagem que tenta desvendar jornalisticamente os passos de Maria. Não tem apelo religioso e Rodrigo foi muito feliz em sua abordagem. Gostei muito.

50 - Pode pá que é nóis que tá - Rodrigo Ciríaco. Ganhei este livro da Jéssica Balbino e li na mesma noite que ganhei. Impressionante a sensibilidade da obra.

3 comentários:

  1. 50, você se superou :3

    ResponderExcluir
  2. Genteeee, que lindeza <3
    adorei sua lista, prometo pra eu mesma que em 2016 vou fazer como vc, pequenas resenhas das obras ...
    tenho mais uma pequena coleção de literatura marginal pra vc!

    ResponderExcluir
  3. Meu ùltimo Suspiro, do Buñuel, é mesmo ótimo. Guardo o meu aqui com muito carinho.

    ResponderExcluir