sexta-feira, 29 de maio de 2015

Nosso Universo

Pino Daeni - Morning Dreams
Quero lhe contar um conto. 
Sinto que vai me ler. Afinal, é o nosso conto.
Vai ler.
Ou quando (se) amanhecer em algum lugar que te faça lembrar,
ou quando (se) amadrugar em algum canto silencioso do seu apartamento.
As tardes, deixe-as para mim.
Reservo-as instigado com o que me faz pensar.
"Se for amor, saberemos", dissemo-nos.
"Se for amor, sentiremos", sabemos.
Devo sair para correr; acho que correr de mim. 
Rumo à despretensão de uma vida nada vadia, mas que vagueia pelos murmúrios da cidade sonolenta.
Espere-me. Sei que chego a tempo.
Não sei se a tempo de entender.
Não sei se a tempo de pontuar nossas reticências com acentos agudos - e complexos.
Até porque, por fim, seremos esse nosso universo mesmo; esse universo de formas e letras; de versos do avesso, de olhares dissonantes.
E quando cair o dia, dormiremos - e sonharemos - em nossas órbitas íntimas e quentes.

Tadeu Rodrigues
maio/15

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir