quarta-feira, 15 de abril de 2015

Percepções

Andrew Atroshenko

Percebi-me naquele soneto constante; 
declamado em calmaria urbana, 
a cheiro de álcool com algumas doses de vida.

Percebi-me sonolento à correria, 
Imerso em meus nostálgicos músculos
que outrora clamavam honrarias.

Percebi-me imoral, amoral, muito igual;
Era hora de me desconhecer.

Diferente, percebi-me em você.

Tadeu Rodrigues
Abr/15

Nenhum comentário:

Postar um comentário