terça-feira, 15 de julho de 2014

Era o que sabia

Picasso

Ela se contentava em desenhar corações
nas margens dos cadernos;
era o que sabia sobre o amor.

Tadeu Francisco
mar/13

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Com carinho - uma carta à poesia

Minas Gerais, 02 de julho de 2014.


Querida poesia,

Sei que aquele não nos foi um bom dia. O tempo estava frio e a chuva obedecia alguma ordem destrutiva. Justo conosco, que tanto gostamos dela.

Deve estar me lendo de algum lugar quente, pois foi para onde disse que iria antes de berrar e sair. Tudo bem, é melhor assim.

É bom que saiba que não gosto quando você me machuca, e não gostei do último estrago que fez; me fazer chorar daquela forma foi algo covarde.

Eu te perdoo. Entendi seu pedido de desculpas no escrito que deixou ao lado da cama.

Agora me responda: nós nunca viveremos bem? Pois dependendo da resposta, já meço meu próximo passo.

Não gosto que gritem comigo. E acho injusto quando você o faz com toda sua ternura; sabe que me desarma. 

Aliás, só você consegue gritar de forma serena. Parece o meu próprio grito repaginado.

Demorei para perceber que você não é eu. Por anos e anos nos confundi. Hoje vejo o quanto fui adulto. E você bem dizia que eu só entenderia nossas singularidades quando eu me acriançasse.

Cá estou, criança, mas chorosa. 

Vamos tentar um pouco de paz? Por favor.

Do seu,

Tadeu Francisco
jul/14


De:Tadeu
Para: Poesia

terça-feira, 1 de julho de 2014

Da Cor da Cultura

Entrevista que concedi ao programa Da Cor da Cultura da TV Poços.

Ficou bem legal! Falei sobre minha trajetória literária e sobre meu livro A grande Peça.

Só conferir:


Entre

Rubén Belloso


Um tempero 

Entre eu e ela:

Desespero.


Tadeu Francisco
jul/14

Caminhada

Iman Maleki

Eles
Pareciam dramas, mas eram palavras bonitas.
Pareciam letras, mas eram poesias.
Pareciam mãos
(...)
 mas eram pés.

Tadeu Francisco
jul/14

No cantinho

Pintura de Andrew Atroshenko




Cabia na cama um pouco de tudo.
(...)
Preferiu o resto da cantoria, 
A dor e a teimosia.

Tadeu Francisco
jul/14

Vozes das mãos

Picasso


Dizer-lhe me arranha a garganta;
Escrever-lhe me arranha o coração.

Tadeu Francisco 
jul/14