sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Balanço literário de 2012

Um breve balanço dos livros que li esse ano.

Não colocarei em ordem de preferência.

Factótum - Bukowski: Excelente. Um dos melhores livros que já li. Intenso, sujo e crítico.

Complexo de Portnoy - Philip Roth: Excelente. Hilariamente ácido e cômico. Um quê de sexualismo em um divã sincero.

Marina - Carlos Ruiz Zafón: Livro bom, mas longe de ser o melhor do Zafón. Acho que o autor se perdeu um pouco colocando alguns "zumbis" na trama.

As Esganadas - Jô Soares: Um romance policial. Livro que não empolga. Muito longe do divertido "O Xangô de Baker Street", o melhor do Jô Soares para mim.

Queda de Gigantes - Ken Follett: Uma ótima surpresa. O primeiro da trilogia do século. Une acontecimentos reais e históricos em uma trama fictícia de amor, suspense e drama.

Inverno do Mundo - Ken Follett: O segundo da trilogia do século.  Excelente continuação. Apesar de alguns sites terem dito que trata-se de um livro autônomo, sugiro ler "Queda de Gigantes" antes. O terceiro e último será lançado em 2014.

Frankenstein - Mary Shelley: Mito monstro criado por uma jovem escritora. Livro bom e reflexivo.

O silêncio dos Inocentes - Thomas Harris: Com o perdão do clichê, mas bem melhor que o filme. Hannibal Lecter é demasiadamente mais interessante e instigante.

Buddy Bolden´s Blues - Michael Ondaatje: É do mesmo escritor de "O Paciente Inglês". Uma ótima biografia romanceada de Buddy Bolden´s, considerado o pai do Jazz. Passa-se pelas ruas, bares, jornais, salões de Nova Orleans no início do século (1910).

Minhas Histórias dos Outros - Zuenir Ventura: Autobiografia que mostra os meandros do jornalismo brasileiro em seu âmago. Quem curte o tema, vai adorar o livro. Muito curioso e pertinente.

Pedro Páramo - Juan Rulfo: A surpresa do ano. Um dos melhores livros que já li. É o único romance do escritor mexicano, e com ele descobri o quanto é difícil encontrar suas obras. É considerado o pai do realismo fantástico, tema que tanto gosto.

Dom Quixote - Miguel de Cervantes: Clássico literário. Resolvi um problema esse ano: lê-lo. Divertidíssimo, o escritor consegue te colocar em um mundo completamente insano com ares de lucidez. Foi o primeiro livro que li em 2012.

O Cemitério de Praga - Umberto Eco: Apesar das críticas, adorei o livro. Umberto me seduziu do começo ao fim. Muitos acharam o livro longo e chato. Não vejo dessa forma. Penso que seja uma literatura ousada e histórica, com um quê de sabor regional ao apresentar a culinária do ambiente contado. SPOILER: A dupla personalidade, a magia das mortes e o misticismo sem parecer pedante foram de uma sacada incrível.


Tadeu Francisco
nov/12

4 comentários:

  1. Bom gosto e ótimas dicas de leitura :)

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por compartilhar.. concordo em praticamente tudo, só não li o do Jô Soares, pq o ego dele pesava tanto que o livro ficou difícil de carregar, então desisti

    Saudades de conversar com vc, beijos, sr.Rodrigues

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, o Jô Soares tem alguns poréns, rs. Mas gostei muito do Xangô, como disse. É bem divertido. As esganadas achei bem fraco. Muito clichê e pouco desenrolar.
      Saudades também, agora que passou seu momento de revolta via twitter, pelo menos agora voltou ehehe.

      Excluir