domingo, 27 de maio de 2012

Concepção

A porta, de René Magritte.
 
Deixa de ser minha,
quando escorre
em seu rosto,
aquela poesia.


Tadeu Francisco
mai/12

Nenhum comentário:

Postar um comentário