quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Inércia moral

Obra de Vladimir Ezhakov

Em minha defesa, Senhor, um palpite sorrateiro:
- Seja o corpo da menina,
com ternura, com apego.
E se um dia ela se for,
não dê mão à solidão,
dê a ela uma flor,
um escrito e seu torpor.

Tadeu Francisco
fev/12

Nenhum comentário:

Postar um comentário