sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Natura - a sua moda

Pintura de Rob Hefferan

Lidei
com o seu universo
Quando
me acabou
O verso.

Tadeu Francisco
dez/11

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Seguir

Obra de José Loureiro

Se der tempo
de não me deixar
Traga a passagem.

Tadeu Francisco
dez/11

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Roupa Velha

Obra de Dégas

Minha roupa rasgada
refletiu-me rasa.
Qual cor devo comprar:
O azul que já gostei
ou o preto que suportei?

Tadeu Francisco
dez/11

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Nosso espaço

Obra de Picasso

Foi-se embora
a pouca folha
E o quintal mais verde
que plantei para ti.

Ausente,
À seca,
nosso inverno foi mais curto.

Em caules e bases,
Em concretos e esquinas,
Nada muito certo,
sequer perto.

Tadeu Francisco
dez/11

domingo, 25 de dezembro de 2011

A rua do mendigo cantante

Pintura de Andréa Maia

Quando longe você chorou,
Perto, solucei.
Minha palavra
Escorrendo pela rua,
soluçante,
no canto pobre 
do mendigo cantante.

Tadeu Francisco
dez/11

(Pré) existente

Rembrandt

Há tempo agora,
E só.

Tadeu Francisco
dez/11

sábado, 24 de dezembro de 2011

Natal maior - uma questão



É aquele menino meio manco,
Meio estranho,
Meio santo,
Meio homem.
Quem é aquele menino meio você?

Tadeu Francisco
24 de dezembro de 2011

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Quando não quis

Pintura de Gustave Corbet

Deixe-me com a pureza
Da certeza
De não ter à sua mesa
uma chance;
uma clareza.

Tadeu Francisco
dez/11

Meio inteiro

Pintura de Djanira

Combalido início do meio,
saiba se colocar na terça parte;
essa que
Num minuto
se transforma em um pouco de quarta.

Tadeu Francisco
dez/11

Ardente divagação

Pintura de Sun Jin Kim

Prefiro 
Divagar...

Tadeu Francisco
dez/11

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Um baile

Pintura realista do Iman Maleki

Dançou feito um peão,
girando em valsa.
Trouxe o achego à realidade;
uma pitada de pimenta
e um pouco de verdade.

Tadeu Francisco
dez/11

Interno

Pintura de Chirico Lodeve

O corpo doente
De doses.
Algozes calabouços internos;
calmantes eternos.

Tadeu Francisco
dez/11

Festa íntima

Pintura de Tânia Leal "Serenata"

Brindo
O que
Me é
Sereno.

Tadeu Francisco
dez/11

Sonífero



Em quantos pontos estão meus sonhos?
Se forem par,
Foram-se.

Tadeu Francisco
dez/11

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Cárcere

Pintura de Maurício Takiguthi


Preso com as mesmas botas velhas de ontem.
Não pude mais comprar aquele relógio bonito.
Meu dinheiro acabou.
Restam-me as grades,
E delas meu afã heróico e imaginário.
Cela,
que te quero livre.

Tadeu Francisco
dez/11

Ente

Pintura de Duffy Sheridan. Auto-retrato.

Nega-se.
Afirma-se.
Um ente.
Dialeticamente
Ser.

Tadeu Francisco
dez/11

Contento

Pintura de Iman Maleki

E se eu não pudesse contar todas as histórias,
seria o menino sentado na praça
Coçando a solidão
Caçando algum olhar
Medindo o ganha pão.

Tadeu Francisco
dez/11

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Noite amanhecida

Obra de Honoré Dumier

Quase manhã;
quase dormi.

Fico
Com a beleza
Das dores.

No meu dia que dói;
no meu dia que chega.

Tadeu Francisco
dez/11

Aquele cheiro

Pintura de Brad Kunkle

Flagrante
fragrância.

Tadeu Francisco
dez/11

Do que é necessário

Pintura de Maurício Takiguthi

Se fosse meu desejo
Bastaria a pouca voz.

Tadeu Francisco
dez/11

Entre a escrita e a lágrima

Pintura realista do incrível Brad Kunkle


Soluço em versos.
Minha rima
E meu declame...
um poema pra você.

Tadeu Francisco
dez/11

Alinhada escassez

Pintura realista "Dia de Sol" de Edward Hopper

E o que me torna escasso? 
Dois dedos de prosa.
Cinco doses de cordel.

Tadeu Francisco
dez/11

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Porca política

Obra de Di Cavalcanti

Quebra 
(de)
de coro. 
- Esses desafinados.

Tadeu Francisco
dez/11

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Homem, simples homem

Obra do fotógrafo turco Mehmet Ozgur

O aroma
Ao concreto;
A fumaça
Às chamas.
Há fogo?

Tadeu Francisco
dez/11

O sono lento

Pintura de Madre Isabel Guerra

Por ora, 
Sonolenta,
Acordei.
Já chegou, noite? 
Ainda é cedo..

Tadeu Francisco
dez/11

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Gota em verso

Júlio Pomar

Pingando-me as letras
o verso ficou farto.
Sentidos e metas apurados;
braços e pernas cortados.
Hoje escrevo com meu sangue...
é o que me resta.

Tadeu francisco
dez/11

Escolha

Pintura de Iman Maleki

Meras mechas castanhas,
tom acinzentado de solidão.
Não podia mais ir sem mim.
Desde aquele tempo
nada foi em vão.

Tadeu Francisco
dez/11

Meu conto

Pintura de Iman Maleki

A dona Maria não é dona de nada.
O seu José não é seu.

Tadeu Francisco
dez/11

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Fim da estrada

Autoria desconhecida

Antes tarde,
hoje nunca.

Tadeu Francisco
dez/11

Quando te fiz dormir

Pintura realista de Alissa Monks

Se preciso for
Dou-lhe um pouco de noite...
nem que seja a minha.

Tadeu Francisco
dez/11

Ardor

Pintura ultra realista de Victor Rodriguez

Sou
Deveras
o que faço nas horas vagas.

Sou 
as horas
vagas.

Tadeu Francisco
dez/11

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Um piscar

Pintura realista de Carlos França

É o estalo do seu piscar que me corrói;
amarra-me por dentro,
deixa-me incerto;
quieto.

Tadeu Francisco
dez/11

domingo, 4 de dezembro de 2011

O que deixei pra você

Obra de Marcel Pajot

Tenho
Em ti
Guardado
Todos os meus estragos.

Tadeu Francisco
dez/11

Leve pesadelo

Pintura do polêmico Yang Shaobin

Entre tantas noites
A em claro escurece-me.

Tadeu Francisco
dez/11

Logo cedo

Obra "Lendo o jornal", por José Malhoa

Desde o começo,
o fim.

Tadeu Francisco
dez/11

Terrestre sem chão

Obra "Oferenda a Pachamama"

Por obséquio
Devolva minha terra.
É uma cheia de poeira,
que quando juntas
Formam minha solidão.

Tadeu Francisco
dez/11

Singelo Sócrates

"Futebol" - C. Portinari


E naquele embalo oco,
A morte,
No vácuo,
desafiou a lógica e a ciência
Emitiu berros e glórias.

Tadeu Francisco
dez/11

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Quando chorei

Pintura realista de Alissa Monks

Percorrida em meu rosto
avizinhou-se em meus sentidos.
Escorreu-me uma lágrima...
e era você 
sendo vagarosamente
esculpida no nosso lençol.

Tadeu Francisco
dez/11