quarta-feira, 31 de agosto de 2011

A fome e a saudade

Baile popular - Di Cavalcanti

Fica perto da cozinha,
o seu cheiro;
sua leveza.
Fica perto do meu peito,
o aperto;
a tristeza.

Tadeu Francisco
set/11

Novos tempos

MarcChagall - LoversWithFlowers

Era um começo estranho,
com um pouco de fim.
Fim.

Tadeu Francisco
set/11

Agosto

Obra de Balthus
Ao longe lançadas,
relíquias quebradas.
Por uma vida
de menos
preciosismo.
Agosto se vai.
E o meu gosto,
alheio ao sabor de pai.



Tadeu Francisco
ago/11

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Uma velha história de amor

Obra de Laurits Andersen Ring

Você chegou tarde...
O café já secou,
a água acabou,
a vida se passou.
Não conheceu a lareira,
não subiu a serra
e nem deitou no jardim.
Não viu meus filhos crescerem,
nem me viu tocar piano.
Não viu meu terno novo,
nem meu sapato duro.
Não me viu pintando a escada,
chorando na chuva,
fazendo feijão.
Não me viu escolhendo os quadros,
deitando mais cedo,
pagando as contas,
pregando o dedo.

Você chegou tarde...

Tadeu Francisco
ago/11

Menina mulher

Mulher com um cigarro - Picasso
Do que outrora se apresentou menina,
chegou mulher.
Trocou a valsa pelo samba,
o bordado pela cama.

Tadeu Francisco
ago/11

De tarde

Obra Paesaggi Africani


Eu só queria
meu lugar
aconchegante.
Ver chegando
na varanda
O seu olhar distante.


Tadeu Francisco
ago/11

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Injusto

O beijo - Picasso
E você vê
No erro
Seu único acerto.
E você vê...
e você erra.

Tadeu Francisco
ago/11

Proteção

Escondidos,
enquanto blindados,
vamos sendo salvos.

Relva na linhagem,
mosteiro no pecado.

Paz e mato
santos.
Mantos e rezas
mancos.


Tadeu Francisco
ago/11

*Ps: Obra de autoria desconhecida. Caso saiba quem é o autor (a), favor clicar aqui.

Sobre hinos e honra

O menino do tambor - Ana Maria Malta

Toque, toque
três tambores.
Batida
semi
tonada,
inteira melodia
destoada.
Seguramos a viola
com as mãos no peito.
Somos todo povo,
somos o leito.

Tadeu Francisco
ago/11

Camuflagem


Em seu toque
deixo três fios,
mero retoque.
Ao que me percebe,
sou camaleão.
Sem pele,
sou camaleão
sem cor.

Tadeu Francisco
ago/11

*Ps: Obra de autoria desconhecida. Caso saiba quem é o autor (a), favor clicar aqui.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Colo

Obra Balthus

Torço para ter o seu colo;
uma hora ele vem.

Torço,
cavo o poço;
Profundo,
grito!

Uma hora
ele escuta.

Tadeu Francisco
ago/11

Sobre ser poeta - John Grisham

John Grisham é um excelente romancista norte-americano.

Suas histórias se passam em ambientes jurídicos, mas nem por isso seu público é o profissional do ramo. Consegue atingir milhares e milhares de pessoas com sua sensibilidade e perspicácia.

O primeiro livro que li de sua autoria foi "O advogado". Fiquei encantando com a história e decidi correr atrás de mais obras. Comecei uma verdadeira peregrinação de compra. Comprei diversos livros. Li todos. E cada obra foi lida em um  curto prazo de dois, três dias.

Muitos de seus romances viraram filmes, que, não por menos, fizeram muito sucesso nas telonas. Dentre algumas delas estão os livros "O homem que fazia chover", "O júri", "Tempo de matar" etc.

John é hoje um dos autores mais lidos do mundo, com a expressiva marca de 250 milhões de livros vendidos.
O bacana de John é que ele explora uma temática recorrente no nosso cotidiano, como lesões corporais, danos, processos criminais, e nos oferece uma nova ótica da coisa. Mostra o outro lado. "O advogado", em especial, me motivou a escolher a advocacia, passei a ver filosofia nas pessoas e acreditar em mudança concreta através de uma profissão.

Fica aqui meu registro e admiração por esse escritor, bem como minha ampla indicação aos seus livros.

Tadeu Francisco
ago/11

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Voar

Obra "mulher insônia" -1997

Pareados no tempo,
encontrados no sopro
No relento.
O ar dele,
a vida dela.

Tadeu Francisco
ago/11

Baixeza

Obra de Balthus
Alta
temporada
de luz.
O declínio,
ele deduz.

Tadeu Francisco
ago/11

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Pedras

Obra "Pescadores na pedra de São Lorenço".

- Pedra,
sirva aquele pequenino,
sirva todo o meu destino;
grande.

Tadeu Francisco
ago/11

Ela

Obra de Balthus
Ela
sabia ser
ela.
Seria,
deveras,
ela?

 
Tadeu Francisco
ago/11

terça-feira, 23 de agosto de 2011

A atropelada

Obra "Corpo no silêncio"

Carne
crua
sobre
a rua
nua.

Tadeu Francisco
ago/11

O lado mais fraco - crise?

Obra "Fome"
O banco nem o nota.
Cobra-lhe juros, espanta a crise.
Saldos, moedas, cartões.
Passivo,
sem entender um tostão,
ele,
a fome
e seu fiel cão.

Tadeu Francisco
ago/11

Deu tempo

'Balthus' - The King any cats

Estamos no mesmo prumo,
na mesma escada.
Não preciso mais saber sobre o fim,
sobre o cochilo do vigia,
sobre o sopro...
sobre mais nada.

Tadeu Francisco
ago/11

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Não sei dizer

A espera - última obra de Balthus
Não sei dizer
ao correto
o que é certo.
Decerto,
espero que o erro
dê certo.
Tadeu Francisco
ago/11

Pacato novo dia

Por do Sol - Rarindra

O novo
amanhece.
O povo
adormece.
Nada
acontece.

Tadeu Francisco
ago/11

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Sobre ser poeta - Nietzsche

Fazer o "Sobre ser poeta" com um filósofo da expressão de Nietzsche foi uma opção relutante. Explico. Queria deixar esse espaço mais leve, com poetas mais harmoniosos. Mas decidi colocar um filósofo que li muito e que nutro uma particular admiração, em que pese concordar muito pouco com as suas "teses".

Quando comecei a ler os artigos de Adorno e Shopenhauer, logo fui apresentado à filosofia de Nietzsche.

Comecei lendo "Assim falou Zaratustra" (que demorei séculos para ler, tentar entender e me adaptar), depois li "Além do bem e do mal", "Ecce Homo", "Anticristo" e, finalmente, "Humano, demasiado humano".

Não preciso nem falar que foi uma leitura que me prendeu fortemente. Nietzsche, pra mim, tem uma força e uma capacidade de pensamento crítico rara, mas, paradoxalmente, frágil.

Senti uma série de contradições em suas obras e aprendi a não colocá-lo em nenhum pedestal (como muitas pessoas), principalmente por alguns resquícios nazistas que rondam a última obra aqui citada.

Sei que não falo de um filósofo neutro, mas a sua influência nazista é sempre lembrada nos ciclos de estudos filosóficos, tendo sido, inclusive - alertam alguns estudiosos -, citado em diversos discursos do próprio Hitler.

Por um bom tempo pouco se falou nele, mas após algumas releituras de filósofos contemporâneos, voltou a se falar e, mais que isso, passou a ser visto como uma figura romântica.

Em geral pessoas citam Nietzsche sem conhecimento e usam suas frases isoladamente, isso me incomoda um pouco, pois é um filósofo muito complexo que merece ser inserido em um contexto. Talvez essas citações demasiadas são em razão do estilo literário do filósofo: o aforismo, que favorece a frase de efeito.

Nietzsche é um filósofo interessante e que vale muito conhecer. A sua grande obra, "Assim falou Zaratustra" retrata seus três momentos. Começando com a  influência em Wagner, passando por Shopenhauer, até, por fim, ganhar uma autonomia de pensar, fato bem explícito em "Humano, demasiado humano", sua obra divisora de águas.

O vídeo mostra um trecho do "Café filosófico" da TV cultura, no qual ele foi assunto, ligando os seus pensamentos aos polêmicos temas de fé, religião, espiritualidade.

Tadeu Francisco
ago/11

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A barba

A barba branca amarelada falava muito...

Obra de Tereza

Só depois entendi que ela falava tudo.

Tadeu Francisco
ago/11

Egoísta - o desespero

Obra de Lucien Freud

Em um só ego,
Bandido,
Roubou a consciência do mundo
e a trancou pra si.

Tadeu Francisco
ago/11

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Comigo

Cotidiano no pelourinho - Guto Veneno

Quando chega o tempo
de dobrar suas camisas,
chega o tempo
de guardar o seu suor
e o carro na garagem.
- Bem, 
você se foi,
tempo.

Tadeu Francisco
ago/11

Em frente

Autoria desconhecida
Seguir
com fé
até
não sobrar
mais pé.

Tadeu Francisco
ago/11
*Ps: Não encontrei o autor da obra. Se alguém souber, favor me avise.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

A queda

Obra de Van Gogh

Mudo,
ouço sem medo;
ora os cantos das cigarras,
ora os cantos do mundo.

Tadeu Francisco
ago/11

Conversas noturnas

Obra "Sono"
Encontrei-te inteiro,
poucas partes imperfeitas.
Serviu-me, reflexivo,
um macio travesseiro.

Tadeu Francisco
ago/11

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Música das (fá) velas

Morro da favela - Tarsila do Amaral

Toco
em
Fá,
velas
do
meu mar.

Tadeu Francisco
ago/11

Sem condição

Obra de Di Cavalcanti
Tendo peito
e uma gota de leite
esbarrou na solidão.
Foi a cólica do filho,
foi o chão.

Tadeu francisco
ago/11

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A beleza e a dor


E você sabe como é que é
a dor de um trovador;
chega manso,
sem meio campo;
inteiro sonhador.

Tadeu Francisco
ago/11

*Ps: obra de autoria desconhecida. Se alguém souber, fazer avisar. Grato.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Sobre ser poeta - João Guimarães Rosa

Gosto do João Guimarães Rosa porque ele encontrou no simples a essência do ser humano. Com personagens fortes, soube repassar ao leitor que as amarguras da vida também correm nas veias das pessoas pobres dessa terra, e não somente das pessoas de algum destaque.

No simples, Guimarães Rosa fez beleza.
Médico e diplomata, não precisava cutucar feridas e mazelas sociais; mas cutucou, e o fez com perfeição.

Quando leio os seus livros sinto orgulho de ser brasileiro.

Das coisas que li de sua autoria, fico com "Sagarana" e "Grande Sertão: Veredas", um dos meus livros de cabeceira.

A inteligência de Guimarães Rosa é indiscutível. E canalizá-la para o senso crítico e íntimo das pessoas mais invisíveis da nossa sociedade, o torna digno de todas as notas literárias.

O vídeo é uma curta produção que mostra algumas curiosidades sobre a vida de Guimarães.


Tadeu Francisco
ago/11

Advocatus

Obra de Honoré Daumier 
Barbas das leis,
mares e papéis.
Amigo,
qual vento
te fez navegar?
O do eco da sua voz
ou o que te ensinou a caçar?

Tadeu Francisco
ago/11

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

(de) compondo

O piano - Salvador Dali

Anota
a nota
toda torta.

Tadeu Francisco
ago/11

Mais uma carta

O beijo
Prazer em levar-te para longe,
perdida no distante,
intátil ferida.
Emprestando-lhe lágrimas
com uivos sinceros
e olhares ventosos.
Brisa...
deixando-te minha.

Tadeu Francisco
ago/11

Mineiro

C. Drummond por Fraga

Um cheiro de queijo,
cheio de pão.
Um cheiro
cheio de casa.

Tadeu Francisco
ago/11

Eterno - todas as coisas

"Blue Star" - Obra de Joan Miró

Não há nada
em tudo
que não possa
ser pra sempre.

Tadeu Francisco
ago/11

Cotidiano - todos os sons

Obra "Cotidiano" - José Pereira
Dê-me o barulho das flores
e o assobio do padeiro.
Eu me ajeito.

Tadeu Francisco
ago/11

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Ladeira

Obra de Bete Serrano

Quanta menina naquela mulher,
que sobe a ladeira
e não deixa rodar.
Quanta mulher naquele nariz;
no charme escondido,
nas rugas batidas;
nos passos mal dados,
nas curvas pensadas.

Tadeu Francisco
ago/11

Catarina

Obra de Antônio Veronese
Estou fora de moda.
Preenchida com saias rodadas,
pijamas com bolas laranjas
e uma pitada de cólera.

Tadeu Francisco
ago/11

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A negativo

Obra de Rene Magritte

O
a
negando
o
resto.
A (i)
lusão.

Tadeu Francisco
ago/11

Crônica VI

O homem que me pediu pão



O velho barrigudo, de olhos azuis, sabia ser banguela.

Pode parecer estranho, mas ser banguela é uma coisa que tem que saber ser; ele sabia.

Devorei sua história de vida em doze minutos. Fiquei sabendo que sua filha e esposa obesa queriam comida; estavam famintas.

Coração mole que sou, não resisti, entrei na primeira padaria que vi e comprei alguns pães para o homem, três, pra ser exato. Um para cada um.

Ele me esperou do lado de fora. Como eu não trazia dinheiro no bolso, mandei marcar.

Entreguei a sacola e ele aquiesceu agradecido. Resistiu um pouco, pois, segundo ele, preferia trabalho.

Solitário, questionei a veracidade de tudo aquilo, em um âmago preconceituoso. Mas por qual razão um homem, apesar de banguela, bem trajado e de fala correta, pediria um pão?

Quando ele se foi, o sondei no canto da  rua.

Não vi nenhuma mulher. 

Não vi nenhuma filha.

Sozinho, ele comeu os três pães.

Tadeu Francisco
ago/11

Economia real

Obra "El Dorado"
Pelo trono,
res
guardada
em cofres.

Tadeu Francisco
ago/11

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Sobre ser poeta - Machado de Assis

Talvez meu interesse pela leitura e escrita fosse significativamente menor se não tivesse lido, ainda na infância, Machado de Assis.

"Conheci" Machado lendo pequenos contos de uma coletânea que achei na biblioteca da escola; encantei-me. Mas o ápice do meu encantamento se deu quando li "Memórias Póstumas de Brás Cubas".

Fique atônito com tamanha grandeza literária. Pra mim, um dos maiores escritores do mundo.

Acredito que dificilmente alguém não tenha ouvido falar nesse exímio, mas, de qualquer forma, a série  registra a minha admiração. Não tenho palavras para descrever o quanto gosto desse escritor.

Selecionei um vídeo que gosto muito. Foi extraído da série da TV Cultura "Contos da Meia Noite", onde o ator Matheus Nachtergaele interpreta um belo conto machadiano.

Esse conto é de minha especial admiração por envolver a ciência criminal, na qual milito, em especial,o Tribunal do Júri, de um modo muito maduro e sensível.


Tadeu Francisco
ago/11

Fitar

Obra "João"

Vi,
da janela,
meio cabelo dela.
Vi,
com latejo,
o meu nome nela.

Tadeu Francisco
ago/11

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Desculpa esfarrapada

Dei-lhe um conto.
Deu-me um ponto.

Tadeu Francisco
ago/11

Ouro de tolo

*

O tempo fechado,
disse cerrado,
que a amargura,
quando feita do pó,
o vidro espelha;
que a armadura,
quando feita do ouro,
o tolo espalha.

Tadeu Francisco
ago/11

*Ps: não encontrei o nome do autor (a) da obra. Se alguém souber, favor me avisar.

Nome

Obra de Anita Malfatti
Para
Fraseando
de
Clamando
da Silva.

Tadeu Francisco
ago/11

terça-feira, 2 de agosto de 2011

(Bi) polar - um conto de fases

Obra de Alexa Meade
De um lado,
e do outro,
tudo que sei,
é que ela sorriu e chorou na mesma frase;
na mesma fase.

Tadeu Francisco
ago/11

*Ps: A imagem não é uma pintura em tela. É uma fotografia de uma pessoa pintada. Incrível o que a Alexa faz. Para conhecer mais seu trabalho, veja o portfólio clicando aqui.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Quando se sabe dizer não

Mulheres - obra de Di Cavalcanti

Bem
feito
o
rejeito.

Tadeu Francisco
ago/11

Falha

Obra de Frida Kahlo

E com a voz suave,
cheia de amarros,
sussurrou o meu erro com o canto da boca:
- Isso
é ser humano.

Tadeu Francisco
ago/11

Finito

"Noite estrelada" - Van Gogh

- Mansidão de forte brisa,
dê-me sal
E teu resto mortal.

Tadeu Francisco
ago/11