segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Silêncio imposto

Seja breve com as palavras.
Se suportei algo,
foi o meu limite respondendo
em silêncio.

Tadeu Francisco
fev/11

A morte ensaiada


Empadas empalhadas enfeitavam a mesa.
Com a tinta cenográfica,
pintei-me de sangue.
Como um medíocre ator,
tomei a água real
e o sangue jorrou.
Morri na arte;
não sou mais ator.
E assim, nasci.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: Quadro 'O ator' de Pablo Picasso, que teve sua tela rasgada graças a queda de uma visitante do museu de artes em Nova York.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A queda do (pequeno) ditador


Do inanimado
surgiu o punho da massa,
que prepara a comida
e amassa o rei.
O pão continua no posto.
Esse,
meu caro,
não vai ser deposto.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: Charge do sempre eficiente Carlos Latuff.

O peregrino e a areia


O pânico que outrora se aproximou,
equivaleu-se a calma
que pressentiu nos cajados e nos barcos;
nas belezas e nas marés.
Aquele dia ele foi só,
a pé.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: Quadro "O andarilho" da pintora Rita Clemente (98).

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Hierarquia

Ordenados,
passamos.
Entre o passado,
entre o amo.

Tadeu Francisco
fev/11

Engano

Venderam-me falácias.
Ludibriado paguei.
Recebi o vazio que me deixou pobre.
Preciso de mais falsas notas.

Tadeu Francisco
fev/11

Tempero

"Carmen Mayrink Veiga" de Cândido Portinari

Temperos e iguarias
nos forraram na cozinha.
Despidos,
nos apimentamos
Em sais.

Tadeu Francisco
fev/11

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Arrependimento Eficaz


E assim,
vivo com a leve esperança,
que me leva pesado,
mas vivo.

Tadeu Francisco
fev/11

Amor de roça

Vi as tramelas e o rosto;
quando meu doce encosto,
na janela,
acabou sendo mais eu;
mais ela.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: Quadro de Cândido Portinari "Baile na roça", 1923 -1924.

Em cena


Enlace
com pena.
Desvendando os segredos
na medida;
fazendo cena.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: quadro "Cena de Espera" de Tatti Simões. Você pode conhecer seus trabalhos clicando aqui.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Guilhotina


Nada mais do que locomoção.
Com o que rolou dos demais,
do corpo separado;
sou cabeça,
solitário,
imaginação.

Tadeu Francisco
fev/11

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Madrugada


Sem tempo,
vil negra;
gata parda.
Hoje cego-me na pouca luz da noite,
em tempo.

Tadeu Francisco
fev/11
*Ps: Desenho "O gato", de Pablo Picasso.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Sobre blues


Bate boca
sussurando no respeito vácuo.
Dê-me línguas e falas.
Perfeita desarmonia:
blues.

Tadeu Francisco
fev/11

Modinha

Não pela banda,
a culpa é do público;
que paga,
que estraga,
que repete, repete, repete.

Tadeu Francisco
fev/11

 *Ps: Quadro "O Violeiro" de José Sabóia.

Acanhar


Seu sorriso é de todo completo.
Quando o vi,
fiquei repleto...
e sério.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: Quadro de Pablo Picasso - Bebedor de Absinto (Fase Azul) - Pintura - Óleo sobre tela (Paris, França)

Imigrante (i)legal


Discórdia entupindo a razão;
 dando espaço à gadanha.
Sem espaço
e sem eira,
sem terra
e sem beira,
a concórdia.

Tadeu Francisco
fev/11

*PS: New York - MIDORI - Quadro à oleo de Tenini-1994

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O cheiro


Descobriu o problema de ser intenso.
Sem querer,
Transformou-se em cheiro.
Agradável e discreto.
Cheiro cheio;
Supersticioso.
E cheio de ser cheiro,
descobriu o problema de ser incenso.

Tadeu Francisco
fev/11

Briga entre irmãos


Casa sem chão,
moinho sem vento;
papo de irmão,
lamento,
lamento.

Tadeu Francisco
fev/11
*Ps: Quadro "Algazarra" de Pedro Cabral.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Impossível

E enquanto ela não vem,
remendo meu desdém.
Em águas e sombras
no desafio fluvial;
somos lua e sol,
ensaiando nosso solo;
ensaiando o final.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: Quadro "Casamento na roça" de Cândido Portinari.

Calendário


Mais um dia riscado.
A tinta fresca
lembrando
que é o fim do dia,
para você,
dia.

Tadeu Francisco
fev/11

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Afago

Leve aconchego,
sou pequena,
sem jeito;
mas chego.

Tadeu Francisco
fev/11

Foco


E me foque,
além do que sua respiração pode causar:
meu desfoque.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: Pintura com espátula de Leonid Afremov.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Fui careta e poeta


Nas facetas,
meu poema.
Nas caretas,
o meu lema.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: Quadro Dora Maar au Chat de Pablo Picasso.

Bolas de sabão


A explosão ardeu-me os olhos.
Sabão e água desenhando o céu,
desdenhando o ar.
O limite entre o cheio e o nada.
Deixei-me levar pelo sopro infantil,
pela água...
lágrima.

Tadeu Francisco
fev/11

*Ps: Quadro "As bolas de sabão" de Édouard Manet (1832-1883).

Postura

Sílabas tortas preenchendo as lacunas.
Torto em palavras,
escritas mornas.
Sou mais escrava;
ereta e cheia.

Tadeu Francisco
fev/11



*PS: Retrato de Helena Fourment é um óleo sobre madeira de Peter Paul Rubens.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Arpejos


Sem pestanejar,
falei sobre as ruínas e os desejos;
causei-lhe um mal estar.
Já não importa,
fui coração,
lampejos e arpejos;
canção.

Tadeu Francisco
fev/11

Na natureza selvagem


Deixo ao mundo meus problemas,
pobres.
E o mesmo mato que me aguarda,
os meus anseios, devaneios e loucuras,
guarda.

Tadeu Francisco
fev/11

*PS: Cena do filme "Into the wild". Poema feito ao amigo Pe. Paulo Simões, que vai em busca de uma nova jornada! Sorte!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Rugas

Autoria desconhecida

Foi quando aspirei a sua pele.
As rugas não permitiram sua volta,
era tarde.
Aspirei assim mesmo.
A quis;
como um ás
Pirado.

Tadeu Francisco
fev/11

Louça


Se estou inteira, não me tocam.
Como caco, firo.
Pelas louças quebradas
torno-me cores;
reles toadas.

Tadeu Francisco
fev/11

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

O sabor e a comida


Fui à panela
e me encontrei feijão.
Hoje sou sabor;
não mais um grão.

Tadeu Francisco
fev/11

*PS: Quadro de: Ticiano, Mulher com Taça de Frutas. c.1555. Staatliche Museu, Berlin

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Entre orações

Úmida,
que eu possa ser lágrima e saliva.
Em um tempo suficiente
para alcançar
e morrer
na sua boca.

Tadeu Francisco
fev/11

A gota e o rosto


Agora que sou gota,
posso escorrer.
E quanto mais corro,
mais desapareço,
seco.

Tadeu Francisco
fev/11
*Obra "a gota" de C. Santiago.

Desvalor

Casa concreta,
devassa silhueta.
Abstrato fiquei,
quando só
me encontrei.

Tadeu Francisco
fev/11

Ao sabor do vento


O Vento,
levado,
levou-me
para o seu lado.

Tadeu Francisco
fev/11

O engraxate invisível


Não adianta estar manchado.
Cegam-te. 
Pratas sociais,
ingratas graxas.

Tadeu Francisco
fev/11

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Realidade

Tateei.
Quão puro me pareceu ser.
Doce engano,
impuro ser.

Tadeu Francisco
fez/11

Mantra


Amena,
e em paz,
sou mais cais,
ao menos.

Tadeu Francisco
jan/11

Ps: Pintura de George Hillyard Swinstead

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

A primeira canção

E de tanto progredir a desordem,
me feri.
Compus em meio as dores;
nunca me acostumei com aquelas notas.

Tadeu Francisco
fev/11