terça-feira, 25 de outubro de 2011

Quando parei de chorar


Das lembranças que vocês vão querer
tenho muitas.
E dessas, tenho o resto que me consome:
o que me flagrou dormindo;
o que me flagrou sonhando.

Tadeu Francisco
out/11

*Ps: obra de autoria desconhecida.

2 comentários:

  1. Gostei da aura surrealista. Abraço!

    ResponderExcluir
  2. O surrealismo sempre permite olhar a nossa mente como deveras ela é. Obrigado pelo comentário, Carla. Abraços.

    ResponderExcluir