quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Sobre ser poeta - Amyr Klink

O primeiro da série que não é um escritor propriamente dito, mas um velejador.

Amyr Klink é sonhador e, por isso, um poeta verdadeiro.

Apaixonado pelo mar, viu nele o seu caminho. Escreveu uma proeza chamada "Cem dias entre céu e mar", um diário de bordo emocionante que conta a realização do seu sonho: cruzar o atlântico em um barco a remo. Fiquei pasmo com essa loucura. Da África ao Brasil em um barco de poucos metros e dois remos. Custou-lhe cem dias e uma recordação eterna.

Para quem for ler suas obras aconselho começar por esse livro.

Quando o li pela primeira vez, há muito tempo, tive vontade de ser do mar. Tamanha foi a lição e a atenção que tive em cada linha. Entrei com ele no pequeno barco e participei de cada aflição e alívio.

Em outras obras delirei com Amyr indo e vivenciando cada pedaço das geleiras, fazendo delas a sua morada. Impressionei-me como ele conseguiu deixar cada pedaço de gelo mais quente com seus devaneios e observações. O fato dele estar na maioria das vezes sozinho me encanta.

Sobre a influência que ele exerce em minha vida literária, há resquícios em um texto que escrevi chamado Partir e nas páginas dos meus dois romances, ainda não publicados.

Após o "Cem dias", ainda li "Mar sem fim", "As Janelas do Paraty", "Paratii entre Dois Pólos" e "Linha-d'Água: Entre Estaleiros" e "Homens do Mar".

Amyr é um apaixonado pela cidade carioca de Parati, nome que deu ao seu veleiro e às diversas páginas de seus livros. Graças às suas descrições quero, muito em breve, conhecê-la.

Pra quem gosta de uma leitura que mistura poesia e aventuras reais Amyr Klink é o nome.

O vídeo abaixo é a primeira parte, de seis, de um documentário que leva o nome de um dos seus livros, "Mar sem fim". Incrível material que mostra um pouco de cada coisa falada aqui e ainda cita o nome de outro aventureiro e escritor, Shackleton. Só conferir:


Tadeu Francisco
set/11

Nenhum comentário:

Postar um comentário