terça-feira, 9 de agosto de 2011

Ladeira

Obra de Bete Serrano

Quanta menina naquela mulher,
que sobe a ladeira
e não deixa rodar.
Quanta mulher naquele nariz;
no charme escondido,
nas rugas batidas;
nos passos mal dados,
nas curvas pensadas.

Tadeu Francisco
ago/11

Nenhum comentário:

Postar um comentário