terça-feira, 28 de junho de 2011

Sobre frio e poetas

O frio sufoca-me sem verso algum,
sem um lugar comum.
Já seu verso,
deixa-me em chamas,
como os Anjos do Augusto;
como a Pessoa do Fernando.

Tadeu Francisco
jun/11

Nenhum comentário:

Postar um comentário