quarta-feira, 30 de março de 2011

O diário

quadro de Almada Negreiros

E por não sentir,
Estremeço diante do novo.
Sempre enfermo da cabeça,
padeço do óbvio escancarado:
a sã insanidade do lúcido;
a desgastante loucura,
que depedra e deprime.

Tadeu Francisco
mar/11

Nenhum comentário:

Postar um comentário