quarta-feira, 3 de novembro de 2010

(In)completo

Sou meio boca, passagem, riacho.
Meio estranho, meio inteiro, meio metade.
Quase completo, quase perfeito, quase errado.
Sempre atento, sempre dormindo, sempre deitado.
Sou o que você pega, paga, peca.
Absorto,
é você quem diz o meu nome, minha cor e minha rima.

Tadeu Francisco
Nov/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário