terça-feira, 30 de novembro de 2010

Esmiuçando a chuva

Com os braços despertos
molhava-se em cansaço.
Não mais coberto,
numa espécie de efeito tardio do ópio,
transcrito em sensibilidade,
abria seu peito ao mundo.
Momento errado.
Nenhum transeunte passava.
Chovia forte.

Tadeu Francisco
Nov/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário