quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Chapéu - um conto

Pega o terno engomado,
em prantos e pele,
com sua roupa impecável e aroma agradável.
Todas o amam.
Só carrega consigo um pequeno defeito:
seu inseparável chapéu panamá,
que está furado,
culpa do maldito cigarro esquecido.
Decora a voz grossa,
ajeita os trejeitos,
pega o buquê.
Ela dá adeus.
Ele, triste, chora aos céus.
E assim vai embora a
linda mulher apaixonada por chapéus.

Tadeu Francisco
Nov/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário