quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Vou ter que fechar

Vou ter que fechar as portas.
O marasmo extrapolou no tempo.
Suas ausentes atitudes destoaram a minha vida.
O silêncio desarmonizou a música.
Não foi reflexão.
Foi covardia.
Tirou-me o chão,
nos dois sentidos.
Desculpe-me, vou ter que fechar.
Minha inquietude não permite mansidão.

Tadeu Francisco
Novembro/2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário