quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Sambante

Foi chegando e chegando.
Tropeçou com estilo.
Sambou no salão.
Reluziu feito a mulata fluorescente.
Na hora de ir embora,
não encontrou a porta.
Fingiu.
Preferiu não mostrar para os outros que era cego.


Tadeu Francisco
Agosto/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário