quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Realismo Fantástico

Era uma história feia, com esquisitices.
Porém a ilusão que beirava a insaniade deixou ele ver além, foi o toque a mais daquele verão.
Não aspirou o ar puro, pela cor preta da fumaça.
Mas aspirou a vontade, com vontade.
A ponte não tinha altura, sequer perigo.
Suou frio e soou aos céus.
Não sei ao certo quando é arriscado.
Fez dos seus passos um risco,
assim tornou todos importantes,
sempre e sempre.

Tadeu Francisco
Out/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário