quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O monge não executivo


Após a longa oração, abriu a pasta e relatou as benzeduras.
Quão dura tornou a burocratização de Deus.
Largou os textos, relatos.
Relapso, mexeu nos seus papéis.
Deus cuidou dos deles.
Assinou a proza que o fez bento.
Benzido,
não se atreveu mais executar.
Deixou isso pra Deus,
Ele que execute;
Ele que assine.
Os papéis não são meus,
são, Deus?

Tadeu Francisco
Julho/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário