quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A alma "Zé"

Ele tinha um nome gozado, quase um ninguém.
Furto em explicar a origem daquele chamariz.
Talvez um "Zé" logo resolveria a questão.
Mas da pirografia estupenda e rebuscada daquele nome próprio,
Zé,
o nome insonso,
era apenas como chamavam a sua história.
Azedou no canto e decidiu inverter as coisas.
O espetáculo agora fica pra alma;
o nome pacato,
agora sim,
faz parte do seu nome.

Tadeu Francisco
Agosto/2010

Um comentário: